Mudas de Abóboras Orgânicas e Húmus Líquido

6 de outubro de 2018
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Produção e qualidade de mudas de Abóboras Orgânicas e Húmus Líquido

 Ana Cláudia Kalil Huber

Eng.ª. Agrônoma, Doutora, Professora do Curso de Agronomia, Urcamp, Bagé, RS. emai: anahuber@urcamp.edu.br

 A abóbora (Cucurbita moschata Duch.), a melancia [Citrullus lanatus (Thunb.) Matsum. E Nakai] e o melão (Cucumis melo L.) são culturas representantes da família Cucurbitacea. Certamente, seu cultivos têm vasta importância social, econômica e alimentar (IBGE, 2010). Todavia, vários são os fatores que afetam a produção de mudas de adequada qualidade. Por exemplo, a qualidade da semente, do substrato e do adubo utilizado. Consequentemente, estes colaboram para o desenvolvimento e sanidade da muda (YAMANISHI et al., 2004).

Qual a importância do Húmus Líquido?

É fato que, a importância pela busca de substratos alternativos, renováveis, de fácil aquisição e com baixo custo permite aos horticultores produzirem mudas de cucurbitáceas de uma forma economicamente viável e mais sustentável para o sistema de produção agrícola. Por outro lado, a má formação de uma muda afeta todo o desenvolvimento da cultura, podendo aumentar seu ciclo e as perdas na produção (ECHER et al., 2007). Dessa forma, outras vantagens além das citadas estão à economia de sementes, maior aproveitamento e rendimento da mão de obra, equilíbrio entre a parte aérea e as raízes, redução do ciclo da cultura e uniformidade da lavoura. Tudo isso somado, está levando a campo mudas homogênea e aumento estimado de 20% a 30% na produção (MINAMI, 1995).

INFLUÊNCIA DE FERTILIZANTE ORGÂNICO (CHORUME) NA PRODUÇÃO DE MUDAS DE MOSTARDA (Brassica juncea (L.) Coss.)

Sobre os substratos para cultivo de mudas

Sousa et al. (2013) relatam que os substratos empregados para cultivo de mudas podem conter diferentes materiais. Muitos podem deixar mais baixo o custo, como por exemplo: a casca de arroz carbonizada, húmus de minhoca, casca de pinus, vermiculita expandida entre outros materiais. Todavia, a casca de arroz é o principal resíduo oriundo da produção de arroz no RS. Entretanto, 60% deste material não possui valor agregado. Consequentemente, sendo distribuído gratuitamente ou sendo destinados a aterros sanitários. Então, devido a alta concentração de sílica, esta não pode ser comercializada como ração animal, devendo ter um destino ambiental adequado.

Reportagem do Globo Rural ensina a fazer o Húmus Líquido
“Húmus de minhoca líquido pode aumentar a produção de hortaliças e frutas”

Fibra de Coco para produção de Mudas de Alface

Como aplicar o Húmus líquido?

Primeiramente, conforme Gonçalves et al. (2009), a dose de húmus liquido a ser aplicada depende essencialmente da concentração final que se deseja. Porém, recomenda-se doses que variam de 10 a 20%. O húmus liquido pode ser  aplicado puro. No entanto, deve-se sempre coar este material para após colocá-lo no pulverizador. Resolvemos avaliar os diferentes substratos produzidos na região (misturas de solo com casca de arroz carbonizada, fibra de côco, areia e  húmus) e aplicação de húmus líquido na produção de mudas de abóbora orgânica, viabilizando a fertirrigação como alternativa ao produtor.

Resultados e benefícios do Húmus Líquido

Concluímos, que os substratos alternativos produzidos na região da Campanha,  influenciam  e favorecem o desenvolvimento de hortaliças. Acima de tudo, concluímos que o húmus líquido tem potencial uso da fertirrigação como alternativa viável aos produtores, para produção de mudas de abóbora orgânica. Como resultado, diminuindo os custos de produção e dando um destino sustentável a resíduos de agroindústrias da região Sul.

Composteira Doméstica para produção de Húmus e Biofertilizante

 

COMPARTILHE
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp